Noel na janela!

 

Que surpresa boa, numa "quarta de cinzas", final de tarde, depois do trabalho e da correria do dia, encontrar nada menos que Noel Rosa na janela!
Isso mesmo, entrei no ônibus (milagrosamente vazio), sentei, olhei pra janela e lá estava, grudadinho, mais um poema! Rindo a toa
Foi tão gratificante que fotografei com o celular só pra transcrever o texto que alegrou o final do dia:

Palpite

Palpite! Palpite!
nasceu no crânio
de quem teve meningite!
foste linchado lá num samba em Catumbi
porque tocaste no pandeiro o Guarani
num dia destes perguntaste ao condutor
só os bondes passavam pela rua do ouvidor
ser palpiteiro neste mundo é uma sina
vendeste o carro pra comprar a gasolina

Noel Rosa. Literatura Comentada, Org. João Antônio. Ed, Abril: São Paulo, 1982
POEMAS NO ÔNIBUS 2010/PORTO ALEGRE/RS


Logo lembrei que o gênio tinha uma música bastante conhecida com um título parecido: PALPITE INFELIZ. E já que o carnaval acabou vamos fechar o feriadão com chave de ouro!

 

Bjs e até!